ACOMPANHE-ME NAS REDES SOCIAIS

Senador Pimentel homenageia em Sessão Especial os 40 anos da UNIFOR

20/05/2013

SENADO FEDERAL                                                              SF - 1  

SECRETARIA-GERAL DA MESA

SUBSECRETARIA DE TAQUIGRAFIA

Senhor Presidente,

Senhoras Senadoras e Senhores Senadores,

A Universidade de Fortaleza, uma jovem senhora de 40 anos, é um exemplo de excelência na atividade acadêmica e de elevada responsabilidade social. É a concretização de um projeto, que a cada ano mais se consolida, de um homem visionário, determinado e empreendedor – o empresário Edson Queiroz, que não concebia a universidade como mera instituição de ensino, mas como instrumento de aprimoramento pessoal dos educandos e de desenvolvimento regional. 

Nesses 40 anos, Senhor Presidente, a Unifor se agigantou no cenário acadêmico nordestino e nacional sem perder a qualidade do ensino e sem se desviar das diretrizes que pautaram sua criação, resumidas nas palavras do seu fundador: “Educação é gênero de primeira necessidade e investimento prioritário”.

Já àquela época, o empresário e bacharel Edson Queiroz chamava a atenção para a necessidade de combater as carências do sistema educacional, investindo fortemente na escolarização de jovens e adultos, bem assim na qualificação da mão de obra, para alcançarmos um patamar de maior desenvolvimento.

Um pensamento que se mantém atual, especialmente, neste momento em que estamos discutindo o Plano Nacional de Educação, do qual sou relator. Sob orientação da nossa presidenta Dilma Rousseff, defendemos a vinculação dos recursos provenientes dos royalties do petróleo para alavancar o desenvolvimento da educação desde a pré-escola até a pós-graduação. Precisamos fortemente desses recursos para que possamos investir no mínimo 10% do Produto Interno Bruno brasileiro na Educação.

Hoje, em que pesem os avanços nessa área, o crescimento econômico, o fortalecimento do mercado interno e a projeção do Brasil no panorama internacional demandam formação de bons profissionais e capacitação técnica em maior escala – o que confirma a antevisão de Edson Queiroz.

De fato, sua concepção, ao criar a Unifor, não se pautou meramente em estudos de mercado. Ele concebia uma instituição que atuasse de forma efetiva no processo de desenvolvimento da região, ao mesmo tempo em que promovesse o aprimoramento intelectual dos educandos e melhorias na qualidade de vida de suas famílias.

Pois esse sonho, Senhoras Senadoras e Senhores Senadores, se realizou. Infelizmente, o fundador da Universidade de Fortaleza, que nos deixou prematuramente, aos 57 anos, não pode acompanhar por muito tempo o crescimento e a modernização da instituição que criou; mas, por uma década, participou de cada etapa conquistada pela Unifor, como a inauguração da biblioteca, a primeira colação de grau e a criação do Núcleo de Atenção Médica Integrada.

Vítima de um acidente aéreo, no dia 8 de junho de 1982, ele não chegou a comemorar o reconhecimento da Unifor pelo Conselho Federal de Educação, no ano seguinte. Seu filho primogênito, Airton José Vidal de Queiroz, assumiu a Fundação Edson Queiroz e a chancelaria da universidade, dando continuidade aos planos do empresário.

A Unifor continuaria sua trajetória em busca da excelência no ensino e da interação com a comunidade. Resumidamente, em 1992 ela implantou o Programa de Iniciação Científica, destacando-se no rol nacional das Instituições de Ensino Superior; em 2001, inaugurou o primeiro laboratório brasileiro de projetos para o mercado de gás liquefeito de petróleo; em 2003, criou o Núcleo de Educação a Distância e inaugurou o Teatro Celina Queiroz; no ano seguinte, inaugurou o Centro de Convivência e obteve a validação dos cursos de Mestrado; em 2009, abriu cursos de Doutorado em Psicologia, Administração de Empresas e Saúde Coletiva; conquistou, no ano seguinte, o Prêmio Melhores Universidades, quando foi considerada a melhor instituição privada das regiões Norte/Nordeste; em 2011, deu início aos cursos superiores de graduação tecnológica. E chega a 2013, Senhor Presidente, com pujança, com a determinação de manter a excelência no ensino superior e com elevado conceito, no meio acadêmico e na comunidade em geral. 

Ao longo dessas quatro décadas, a Universidade de Fortaleza já graduou mais de 70 mil profissionais, sete mil deles com pós-graduação, contribuindo para melhorar a educação e a capacidade intelectual, a qualificação da mão de obra requerida pelo mercado e o processo de desenvolvimento de toda a região. Hoje, a instituição tem mais de 25 mil alunos nos 40 cursos de graduação, pós-graduação “latu” e “strictu sensu”, e graduação tecnológica. Ao todo, são mais de 70 cursos de especialização, Mestrado, e ainda Doutorado nas áreas de Direito Constitucional, Administração de Empresas, Psicologia, Saúde Coletiva, Informática Aplicada e Biotecnologia.

A par das atividades estritamente acadêmicas, a Unifor desenvolve numerosos projetos de responsabilidade social e ambiental, arte, cultura e práticas desportivas. Visando uma formação integral e atualizada dos educandos, dá ênfase à pesquisa, oferece cobertura de internet wi-fi gratuita em todos os ambientes do campus e mantém convênio com o Programa Internacional de Intercâmbio Acadêmico, que reúne mais de 160 universidades de 35 países.

Para oferecer essa qualidade de ensino, a Unifor conta com um corpo docente de alta qualificação – 1.200 professores, dos quais 80% com títulos de Mestrado ou Doutorado, superando com larga margem o mínimo exigido pelo Ministério da Educação; e dispõe, nos 720 mil metros quadrados do seu campus, de 300 salas de aula e 230 laboratórios, auditórios, salas de vídeo, biblioteca, teatro, parque esportivo e espaço cultural; e ainda, TV universitária, núcleo de atenção médica, clínica odontológica, escritório para prática jurídica, escola de ensino infantil e outros núcleos de prática acadêmica e de pesquisa.

Com toda essa estrutura, a Unifor não se habilita apenas a garantir o ensino acadêmico, com teoria e prática de excelente nível; habilita-se, também, a desenvolver seus projetos sociais, entre os quais destaco o programa “Promoção de Saúde Mental”, que atende pessoas com transtorno psíquico ou em situações de risco que possam desenvolver patologias; o “Grupo Cabelos Brancos”, que desenvolve ações educativas para idosos, tendo como objetivos a prevenção de acidentes domésticos, orientação familiar e socialização; o “Grupo Interativo”, que, integrando ações de Terapia Educacional, Fisioterapia, Fonoaudiologia e Psicologia, atende crianças e adolescentes com necessidades especiais, com atraso no desenvolvimento e dificuldades de aprendizagem ou de comportamento.

Destaco, ainda, Senhor Presidente, os projetos “Despertar Corpo e Mente”, que promove ações educativas, lúdicas e recreativas, e o “Grupo Reviver”, que assiste pessoas com sequelas de patologias neurológicas. Entretanto, gostaria de chamar a atenção, especialmente, para a atuação do Núcleo de Atenção Médica Integrada, o NAMI, criado em 1978 e concebido por Edson Queiroz para promoção de saúde e qualidade de vida, especialmente em comunidades carentes. O NAMI promove a efetiva integração comunidade-escola, reunindo professores e alunos numa ação assistencial que é desenvolvida em consonância com as pesquisas acadêmicas da Unifor.

No NAMI são realizados mais de 300 mil procedimentos por ano, incluindo alguns atendimentos de alta complexidade. As atividades abrangem consultas médicas, exames laboratoriais, imunização, diagnósticos por imagem, serviços de enfermagem, nutrição, fisioterapia e muitos outros, beneficiando anualmente cerca de 25 mil pacientes. Além do atendimento clínico, o NAMI desenvolve ações com grupos especiais, como o programa destinado aos pacientes com transtornos alimentares e obesidade. Nessa unidade, Senhoras Senadoras e Senhores Senadores, aproximadamente 3.500 estudantes do Centro de Ciências da Saúde e do curso de Psicologia realizam seus estágios, devidamente supervisionados, fazendo do NAMI uma referência em todo o Nordeste pela qualidade da assistência prestada.

A excelência do NAMI pode ser atestada por serviços como o atendimento aos portadores de paralisia cerebral espástica; pelas atividades da Academia de Integração Sensorial e do Ambulatório de Espasticidade; e pelo reconhecimento de entidades especializadas.  Podemos citar, nesse caso, a Certificação de Padrão Ouro em esterilização, conferida pela 3M do Brasil; o Prêmio de Liderança e Gerência, outorgado pela USAID/MSH, de Massachussets; e o conceito de Excelência em análises clínicas, concedido pela Sociedade Brasileira de Análises Clínicas.

O modelo de atuação da Universidade de Fortaleza, reunindo na formação acadêmica teoria, prática e interação com a comunidade, é tudo o que o Brasil precisa para agilizar e consolidar o seu crescimento econômico. A educação, todos sabemos, é o caminho mais curto para o desenvolvimento. Os países periféricos que investiram fortemente na educação e na tecnologia, nas últimas décadas, hoje integram o grupo dos países desenvolvidos. O Brasil tem experiências próprias que permitem chegar a essa conclusão: a Embraer, a Petrobrás e a Embrapa são exemplos incontestáveis de que é preciso investir em educação, pesquisa, qualificação da mão de obra e tecnologia.

A participação da iniciativa privada é fundamental, tanto para o desenvolvimento de pesquisas quanto para a inovação tecnológica. Afinal, de pouco adiantam a acumulação de capital e o progresso tecnológico se não forem acompanhados de políticas públicas adequadas e de uma boa dose de empreendedorismo. Nesse aspecto, temos que louvar o descortino de Edson Queiroz, que, tendo fundado um forte conglomerado econômico, procurou dar impulso ao desenvolvimento regional por meio de uma instituição de ensino com grau de excelência e responsabilidade social.

O Brasil tem um déficit, hoje, de 25 mil médicos para atender as ações do Saúde da Família; e um déficit de pelo menos 15 mil engenheiros, apenas para atender às obras prioritárias, como as do Programa de Aceleração do Crescimento – PAC. A rigor, nossas necessidades são bem maiores e abrangem muitas e diversificadas áreas. Na base de todas as conquistas científicas e tecnológicas, porém, está a educação, que não contribui apenas para aumentar a produtividade e a competitividade, mas também para humanizar a sociedade, para garantir qualidade de vida, cidadania e paz social.

Por todos esses motivos, Senhoras Senadoras e Senhores Senadores, a Unifor, ao completar seus 40 anos de fundação, merece nossa estima e nossa admiração. Ao cumprimentar os dirigentes dessa instituição e os familiares desse empreendedor visionário, que foi Edson Queiroz, salientamos nossa convicção de que a Unifor se fez respeitada e reconhecida por sua excelência acadêmica e por sua responsabilidade social – enfim, por seus compromissos com a educação e com o Brasil.

Parabéns a todos que participaram dessa história, especialmente, os trabalhadores da Unifor, seu corpo técnico e docente. Parabéns aos estudantes que também fazem parte dessa construção.

E, para finalizar, desejo longevidade à Unifor e sucesso para as novas gerações que continuarão avançando, construindo e fortalecendo essa história pelas próximas décadas de um futuro que se mostra promissor.

Muito obrigado!