ACOMPANHE-ME NAS REDES SOCIAIS

PT diz não abrir mão de candidatura

Publicado no dia 17 de Janeiro de 2017
Local: 
Jornal O Povo - 2º Clichê - Cotidiano

O Partido dos Trabalhadores (PT) inicia sua preparação interna para as eleições do próximo ano afirmando que, mesmo diante do interesse de vários partidos aliados por candidatura própria, não abrirá mão de lançar candidato a sucessor da prefeita Luizianne Lins (PT) e que buscará manter unida a aliança partidária montada para as eleições estaduais do ano passado. Esse foi o tom dos discursos de vários petistas, em entrevista ontem antes de encontro do diretório estadual.

Para isso, segundo o deputado federal José Nobre Guimarães, será prioridade para o PT manter a parceria política com o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB). Segundo ele, o apoio de Cid será a força que de juntará os partidos.

Da base aliada, PDT, PSB, PMDB e PCdoB já manifestaram interesse em candidaturas próprias. Para o vice-presidente do partido, Joaquim Cartaxo (PT), a pressão exercida pelas siglas é “natural” e o PT está disposto a dialogar.

Aliado da presidente do PT no Ceará, Luizianne Lins, o vereador Acrísio Sena afirmou que o PT não pode permitir que aconteça uma “pulverização” de candidaturas na base aliada. Para ele, a manutenção dos acordos será prioridade nas negociações. “E eu acho que já está na hora de o PT chamar os partidos para conversar”.

Um dos nomes cotados como possível candidato d PT à Prefeitura, senador José Pimentel, demonstrou ontem ter pouco interesse em ser candidato na briga pela sucessão. Segundo Pimentel, seu mandato desempenha um papel importante no Congresso Nacional, além de ter sido o primeiro senador eleito pelo PT no Estado e que, por isso, sua função nas eleições será apenas de articulador.

Sem participação de Luizianne, o diretório estadual do PT debateu ontem a situação do partido no Ceará e estabeleceu como prioridade para as eleições manter o poder em pelo menos 15 cidades já governadas pelo PT.