ACOMPANHE-ME NAS REDES SOCIAIS

Defesa da democracia é destaque no livro sobre atuação de Pimentel

Defesa da democracia é destaque no livro sobre atuação de Pimentel

O senador trabalhou contra o golpe que afastou a presidenta Dilma Rousseff
Publicado no dia 12 de Dezembro de 2018
Image

As posições assumidas pelo senador José Pimentel (PT-CE), diante do golpe de 2016, que afastou a presidenta da República, Dilma Rousseff, estão retratadas, em detalhes, no livro José Pimentel – Um mandato coletivo e popular no Congresso Nacional, divulgado segunda-feira (10/12).

“Não havia baionetas nem fuzis, não havia tanques nas ruas, nem generais do Exército dando ordens para as tropas avançarem rumo ao Palácio do Planalto. Mas a presidenta da República Dilma Rousseff ficou sitiada, num cerco que foi erguido, tijolo a tijolo, desde 2013, quando as elites se apropriaram das manifestações de junho, inicialmente, restritas a São Paulo e Rio de Janeiro e as nacionalizaram. Estava em processo mais um golpe de Estado, consumado em 2016”, inicia o capítulo do livro que trata sobre o assunto.

A publicação destaca que Pimentel, como líder do governo no Congresso Nacional, encarou as forças golpistas de frente. Viu o ambiente político se degenerar dia após dia. Sentiu na pele os efeitos da manipulação midiática e as consequências desastrosas do uso de instituições e poderes públicos para viabilizar o golpe.

O livro narra também o momento mais emblemático do processo de impeachment, quando o juiz Sérgio Moro vazou áudios da presidenta Dilma Rousseff diretamente para a TV Globo e demais emissoras, de forma comprovadamente ilegal. Na hora em que a notícia chegou ao plenário do Senado, na noite do dia 16 de março de 2016, em meio a uma sessão de votações, o líder José Pimentel fez o seu mais veemente discurso em favor do Estado Democrático de Direito. Ele disse que “o momento político é muito grave. Há um juiz de primeira instância que rasga a Constituição, rasga a legislação que trata do sigilo telefônico. Quando há autoridade de foro privilegiado, como é o caso da Presidência da República, automaticamente, todo o processo se transfere para o Supremo Tribunal Federal. Não estamos aqui defendendo apenas a presidenta Dilma, estamos aqui defendendo a Constituição brasileira”.

No Senado, o processo de impeachment tramitou por quase quatro meses. Pimentel, que já havia sido indicado para a articulação com os demais partidos, foi designado pela Bancada do PT como titular da Comissão Especial do Impeachment, juntamente com os senadores Lindbergh Farias e Gleisi Hoffmann.

A publicação relembra, ainda, o dia em que a presidenta Dilma Rousseff compareceu ao plenário do Senado Federal para se defender das acusações. Ao discursar olhando para ela, Pimentel prestou o seu testemunho sobre a correção da presidenta da República no trato das questões públicas e orçamentárias. E, ao final do discurso, disse que o Senado Federal cometeria uma grande injustiça se não arquivasse a denúncia. Seria “uma grande injustiça com uma mulher honesta, trabalhadora e comprometida com os mais pobres”.

Outro fato em destaque foi a decisão do senador de deixar a liderança do governo no Congresso, logo após o afastamento da presidenta Dilma. “Quando o painel do Senado autorizou a abertura do processo de impedimento, por 55 votos a 22, impondo o afastamento provisório da presidenta, eram 6:33 da manhã. O senador José Pimentel saiu do plenário, passou pelo seu gabinete, assinou o ofício no 093 sobre sua mesa, apanhou a pasta de documentos e atravessou a avenida que contorna a Praça dos Três Poderes. Deixou o prédio do Senado Federal diretamente para o Palácio do Planalto. Exatamente, às 8 h, protocolou a carta em que entregou o cargo de líder do governo à presidenta Dilma Rousseff. Queria sair com ela, dignamente”, conta o trecho do livro que traz a cópia do documento protocolado.  

Prestação de contas - O livro José Pimentel – Um mandato coletivo e popular no Congresso Nacional, tem oito capítulos, somando 236 páginas.

A publicação impressa está sendo distribuída a autoridades, lideranças políticas, entidades de classe e bibliotecas públicas, entre outros públicos. Também já está disponibilizada em meio digital para acesso amplo de todos os cidadãos e cidadãs.

 

Onde ler:

Site do mandato

www.josepimentel.com.br | Link direto para download: bit.ly/livro-pimentel-2018

Biblioteca Digital do Senado  

www2.senado.gov.br/bdsf/item/id/551005

 

VEJA TAMBÉM

21/12/2018

A legalidade da prisão do ex-presidente Luiz InácioLula da Silva, detido desde abril na Superintendência da Polícia...

21/12/2018

Preso político há oito meses, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira (20)...