ACOMPANHE-ME NAS REDES SOCIAIS

Com Minha Casa Minha Vida, sonho da moradia própria vira realidade para brasileiros

Com Minha Casa Minha Vida, sonho da moradia própria vira realidade para brasileiros

Publicado no dia 17 de Fevereiro de 2016
Image

Ter a casa própria sempre foi um dos principais desejos do brasileiro. Durante muitos anos, esse sonho permaneceu distante, quase inatingível para grande parte da população, que, devido ao elevado preço dos imóveis, não tinha condições de realizar um financiamento tradicional.

Essa realidade começou a mudar em 2009, quando o governo federal lançou o Minha Casa Minha Vida, maior programa habitacional da história do Brasil. Em apenas seis anos, já são mais de 2,4 milhões de unidades entregues, beneficiando mais de 9 milhões de pessoas.

O sucesso do programa decorre do incentivo à construção de moradias populares, por conta do papel indutor do programa no mercado imobiliário. Em vez de o cidadão de baixa renda ter de adaptar o orçamento para conseguir pagar as prestações, é o governo que subsidia a construção, de modo a fazer com que a prestação caiba no bolso do interessado.

Até setembro do ano passado, o governo federal já havia realizado investimentos da ordem de R$ 270 bilhões, em forma de subsídio - o programa oferece condições de pagamento e taxas de juros diferenciadas, de acordo com a renda da família do interessado.

Para imóveis em áreas urbanas, há quatro faixas de renda contempladas:

- Famílias com renda de até R$ 1,8 mil, que têm financiamento em até 120 meses, com juros zero e prestações mensais cujo valor máximo não pode exceder 5% da renda bruta da família - o valor mínimo da parcela é de R$ 25,00. A garantia para o financiamento é o próprio imóvel adquirido;

- Famílias com renda entre R$1.800 e R$ 2.350, que pagam parcelas com taxa de juros de 5%, e contam com subsídio do governo de até 45 mil para comprar o imóvel;

- Famílias com renda entre 2.350 e R$ 3.600, que pagam taxa de 6% a 7% e têm até 30 anos para pagar o financiamento de imóveis novos ou na planta;

- Famílias com renda entre R$ 3,6 mil e R$ 6,5 mil, que pagam parcelas com taxa de 8%.

A preocupação com a qualidade dos imóveis é uma constante nos projetos aprovados voltados à população de baixa renda. As unidades habitacionais costumam ser divididas em dois quartos, sala, banheiro, cozinha e área de serviço, com piso cerâmico em todos os ambientes.

Além disso, atendendo às exigências de qualidade do programa, os empreendimentos devem ser equipados com infraestrutura completa: pavimentação, redes de água, esgotamento sanitário, drenagem e energia elétrica.

Segundo estimativa do Ministério das Cidades, o Minha Casa Minha Vida vai beneficiar mais de 25 milhões de brasileiros até 2018. O número leva em consideração a terceira fase do programa, a ser lançada no segundo semestre de 2015, que tem como meta a construção de mais três milhões de moradias.

Fonte: Portal Brasil