ACOMPANHE-ME NAS REDES SOCIAIS

Senador José Pimentel visita a CMFor para debate sobre a reforma da previdência

Publicado no dia 19 de Fevereiro de 2018
Local: 
Câmara Municipal de Fortaleza

Na manhã desta quinta-feira, 15, atendendo ao requerimento do vereador Guilherme Sampaio (PT), a Câmara Municipal de Fortaleza recebeu o senador José Pimentel (PT) para um debate sobre a reforma da previdência.

Guilherme introduziu a fala de Pimentel apresentando o trabalho que o senador fez enquanto Ministro da Previdência, entre junho de 2008 e março de 2010.

Em sua fala, o vereador destacou que o “sistema previdenciário fala a respeito dos laços de solidariedade de um povo de um país, da colaboração dos jovens, no ápice de sua vida produtiva, com aqueles que já contribuíram com o país”.

Antes de passar a palavra para o senador José Pimentel, Guilherme disse que a proposta de reforma previdenciária foi repudiada pela Câmara Municipal de Fortaleza e que “na próxima semana, uma comissão de vereadores irá ao Congresso Nacional formalizar a posição do povo de Fortaleza sobre a reforma”.

O senador José Pimentel iniciou elogiando a iniciativa da CMFor de debater abertamente a reforma da previdência.

Segundo Pimentel, “a reforma da previdência, proposta pelo presidente Michel Temer, busca diminuir os benefícios e os direitos conquistados pelos trabalhadores, especialmente desde a implementação do sistema previdenciário, em 1923, revogando os direitos consolidados e reconhecidos nas emendas nº 20 de 1998 e nº 41 de 2003, que assegurava todos os direitos até ali existentes”.

O senador trouxe para a Casa Legislativa uma detalhada explanação sobre as mudanças propostas, deixando claro seu descontentamento com o tratamento dado às mulheres, citando a reforma trabalhista aprovada neste governo e hoje vigente. “Há itens repudiáveis, como exigir que mulheres gestantes e lactantes trabalhem em locais insalubres, não protegendo a vida, as crianças e as famílias”, disse.

Pimentel apontou que “o problema previdenciário brasileiro é de gestão, pois de 2009 a 2015 a Contribuição para a Seguridade Social, implementada com a Constituinte de 1988, cobriu toda a despesa da saúde e da previdência, mantendo-se sempre com saldo positivo”.

O senador também parabenizou os vereadores de Fortaleza por terem rejeitado a proposta de reforma “demonstrando a sensibilidade e a identificação dos membros da Câmara com o povo de Fortaleza”.

Rebeka de Moura