ACOMPANHE-ME NAS REDES SOCIAIS

Democracia pressupõe a participação de todos e o respeito à vontade da maioria, afirma Dilma

Democracia pressupõe a participação de todos e o respeito à vontade da maioria, afirma Dilma

Publicado no dia 14 de Dezembro de 2015
Image

Em seu discurso na cerimônia de entrega da 21ª edição do Prêmio Direitos Humanos, nesta sexta-feira (11), no Palácio do Planalto, a presidenta Dilma Rousseff afirmou que, ao longo da história, a luta contra diferentes formas de opressão permitiu à humanidade estabelecer a garantia dos direitos humanos como valor fundamental. Ela sustentou que o respeito à democracia é necessário para a garantia de tais direitos.

“Falo da democracia como um sistema que supõe a participação de todos e o respeito à vontade da maioria”, declarou.

Dilma ressaltou que os direitos humanos sucumbem sem a democracia. “Nós temos a experiência disso. E também não há democracia sem respeito aos direitos humanos”.

A presidenta ainda disse que a essência da democracia é a promoção da liberdade e da igualdade e que, portanto, os direitos humanos são uma espécie de receituário básico do que a democracia deve promover.

“Um receituário que abrange as condições primordiais da existência digna, que respeita e abraça a diversidade de identidades, de culturas, a diversidade de experiências e que age para promover a justiça e a fraternidade”.

Valores em xeque

A presidenta declarou ainda que nos 67 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, a luta e o compromisso com os direitos humanos não cessaram de se expandir. Mas que há um cenário no Brasil e no mundo em que estão sendo colocados em xeque a preservação de valores democráticos e o respeito aos direitos dos indivíduos. Ela entregou nesta sexta-feira (11) a 21ª edição do Prêmio Direitos Humanos.

“Vivemos um momento histórico em que muitos dos avanços conquistados parecem ainda estar em questão. Recordar a importância dessa carta de direitos é fundamental para renovar o compromisso de todas as lideranças mundiais, dos movimentos sociais internacionais, de cada indivíduo com a solidariedade com os mais vulneráveis, com o respeito à diversidade, com a preservação dos valores democráticos, com a preservação da paz”.

Dilma apontou principalmente para os conflitos regionais que empurram milhões e milhões de pessoas a buscar segurança e asilo em países para que não sejam mortos, torturados, feridos ou perseguidos. E ressaltou que os direitos humanos não podem e nem devem ser uma questão partidária, de facções ou de posicionamentos políticos diferentes.

E afirmou também que deve ser tarefa permanente garantir e proteger os direitos humanos de todos, sem ignorar que o efetivo exercício sempre leva as pessoas a exigirem novos patamares de direito.

“Sigamos investindo na promoção e ampliação dos direitos de nossas cidadãs e cidadãos e no fortalecimento da nossa democracia. Sem recuar, sem comprometer as bases do Estado Democrático de Direito. Somente assim o Brasil de forma efetiva e permanente se faz a pátria mãe de todas as filhas e os filhos deste solo”.

Fonte: Blog do Planalto