ACOMPANHE-ME NAS REDES SOCIAIS

Agricultura familiar e desenvolvimento

Diário do Nordeste

Agricultura familiar e desenvolvimento

Os trabalhadores da agricultura familiar saíram do 17º Grito da Terra Brasil, realizado de 17 a 19 de maio, com a esperança renovada. Ouviram diretamente da presidenta Dilma Rousseff o seu compromisso com o fortalecimento do setor. Retornaram aos seus estados com a garantia de redução das taxas de juros nas linhas de crédito, com a destinação de R$ 16 bilhões para o Plano Safra 2011/2012 e com a criação da Superintendência da Habitação Rural, dentro da Caixa Econômica Federal.

A agricultura familiar é um setor muito importante para o país, tanto nos aspectos econômicos quanto sociais. Os trabalhadores rurais da agricultura familiar são responsáveis pelo cultivo de 24% das terras agricultáveis do Brasil e respondem aproximadamente por 30% de toda a produção brasileira. Mesmo cultivando em áreas muito menores que as administradas pelo agronegócio, a agricultura familiar contribui com cerca de 70% dos alimentos que compõem a cesta básica, segundo dados registrados em 2008 pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). É daí que vêm 70% de todo o feijão produzido no país; 84% do plantio da mandioca; 54% de toda a bacia leiteira; 49% do cultivo do milho e 40% das aves e ovos.

A análise histórica do Grito da Terra Brasil demonstra que houve muitas conquistas do movimento, desde 2003. Como participante de todo o processo, acompanhei as dificuldades enfrentadas pelas lideranças na década de 1990, quando sequer eram recebidas pelo governo federal. Foi preciso eleger um metalúrgico para que essa realidade fosse transformada. A partir do presidente Lula e, agora, com a presidenta Dilma Rousseff, as lideranças da agricultura familiar passaram a ter interlocução direta com a Presidência da República. Esse trabalho construtivo aumenta a segurança e a satisfação do trabalhador rural.

Precisamos avançar mais!  Ao lado da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), federações e sindicatos, vamos seguindo em frente. Os primeiros passos já foram dados, o caminho é longo, mas chegaremos lá.

VEJA TAMBÉM

13/11/2017

*Senador José Pimentel

No momento em que até as liberdades estão sendo questionadas, em que as forças conservadoras que legislam e dirigem o país atacam direitos e...

28/04/2017

A Lei de Migração que aprovamos no Senado Federal precisa ser comemorada. Não se pode reduzir o mundo a uma visão de cidade, região ou país. Os fluxos migratórios são intensos e precisam ser...